Aberta Campanha em Defesa das Terras, Águas e dos Povos do Piauí

Uma campanha lançada por várias entidades dos movimentos sociais do Piauí, entre elas o Fórum Piauiense de Convivência com o Semiárido, no qual o Mandacaru faz parte. A campanha foi lançada na BR 316 na altura da Estaca Zero na manhã do último dia 21 de novembro. Na abertura da Campanha houve uma mística além do depoimento de pessoas vítimas dos grande projetos que estão sendo implantados no Piauí. As pessoas presentes interditaram a Estrada Federal por três horas em protesto e solidariedade as famílias que estão sendo expulsas de suas terras para implantação dos grandes projetos no Piauí como plantação de eucaliptos, construções de barragens no Rio Parnaíba, transnordestina, a monocultura entre outros. O Centro de Formação Mandacaru esteve presente na abertura da campanha com uma delegação de 35 pessoas. Foram de Pedro II quatro ônibus com quase 200 pessoas. Outras Entidades como Fundação Santa Ângela, Kolping, Cerac e Sindicato Rural também estiveram presentes no evento.

Após a manifestação na BR 316 os protestantes seguiram para o prédio da SEMAR e INTERP, o Secretário Dalton Macambira negociou com as entidades e ficou definido abrir o diálogo para a negociação da pauta proposta pela campanha. A primeira reunião ficou marcada para a próxima quinta-feira, dia 24/11/11.

Na pauta de negociação a campanha visa combater, por exemplo, a venda de terras e o licenciamento de grandes projetos pelo Governo do Estado que violem os direitos das populações e degradem o meio ambiente; os danos causados pelas obras de “aceleração do crescimento”; a omissão de instituições de controle social e fiscalização e o consentimento do Poder Judiciário das baixas indenizações às famílias.

Na pauta de negociação a campanha visa combater, por exemplo, a venda de terras e o licenciamento de grandes projetos pelo Governo do Estado que violem os direitos das populações e degradem o meio ambiente; os danos causados pelas obras de “aceleração do crescimento”; a omissão de instituições de controle social e fiscalização e o consentimento do Poder Judiciário das baixas indenizações às famílias.

Para os movimentos sociais organizados participantes dessa campanha os grandes projetos vindos para o Piauí irão beneficiar diretamente aos empreendimentos privados e não a população. Basta ver o papel a ser produzido pelos eucaliptos aqui plantados, vai ficar nas escolas ou escritórios do Piauí? A soja produzida no sul do Estado irá saciar a fome da população piauienses? A transnordestina que corta o Estado irá trazer alimento para as famílias que estão sendo obrigadas a saírem de suas terras por onde ela passa? Segundo essas Entidades também o pretexto de criar empregos com esses projetos não é válido, até porque que empregos? Perguntam. Por isso esse grupo de Instituições e movimentos organizados chamam a atenção da sociedade e querem o debate com o governo para que o desenvolvimento não venha a preço de esmagar vidas principalmente de famílias inocentes que habitam a região atingida por esse grandes projetos.

Conheça mais sobre a campanha acesse http://www.terrasaguasepovosdopi.blogspot.com/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s