Edital de Matrículas, rematrículas e concessão de bolsas CEBAS – 2023 (Ecoescola Thomas a Kempis)

O Centro de Formação Mandacaru lança o Edital de Matrículas, Rematrículas e concessão de Bolsa CEBAS para preenchimento de vagas referente ao ano de 2023 da Ecoescola Thomas a Kempis.

O Edital está baseado na Lei Federal Nº 12.101 de 2019 destinada as entidades de assistência social.

As vagas constantes deste edital destinam-se para filhos de famílias de baixa renda podendo ser do município de Pedro II ou de municípios da região e serão ofertadas novas matrículas apenas para 6º ano do ensino Fundamental maior e 1º ano do Ensino Médio. A sede da escola fica localizada no Sítio Revedor, Zona Rural, nesta cidade de Pedro II.

Clique aqui para acessar o Edital

Edital 2023 da Escola Asa Branca

O Centro de Formação Mandacaru lança o Edital de Matrículas, Rematrículas e concessão de Bolsa CEBAS para preenchimento de vagas referente ao ano de 2023 da escola de educação Infantil Asa Branca.

O Edital está baseado na Lei Federal Nº 12.101 de 2019 destinada as entidades de assistência social.

As vagas constante deste edital destinam-se para filhos de famílias carentes da região do Bairro São Francisco, nesta cidade de Pedro II e serão ofertadas educação infantil nos níveis: Maternal, Pré I e Pré II. A sede da escola fica localizada à Rua Francisco de Assis, nº 140, bairro São Francisco, nesta cidade de Pedro II.

Acesse o Edital aqui

Famílias agricultoras participam de curso com o tema Agroecologia

15 famílias residentes nos municípios de Pedro II e Milton Brandão estão sendo beneficiadas pelo projeto de inclusão produtiva, Quintais Agroecológicos, com o apoio do Fundo Estadual de Combate à Pobreza – FECOP, através da Secretaria de Estado da Assistência Social e Cidadania do Estado do Piauí – SASC-PI. Entre as atividades do projeto foi realizado um curso com o tema: Princípios da Agroecologia que aconteceu nos dias 29 e 30 de setembro na Ecoescola Thomas a Kempis. A atividade faz parte do plano de trabalho que segue até os primeiros meses de 2023.

O projeto é executado pelo Centro de Formação Mandacaru e tem como objetivo a implantação de quintais produtivos através de sistemas agroecológicos com vista à inclusão produtiva das famílias.

Durante o curso as famílias puderam receber orientações de como melhor produzir na realidade do Semiárido Piauiense e também como melhor aproveitar as riquezas em nutrientes que o solo oferece. Dessa forma, possibilita a produção de forma agroecológica. No curso foi possível visitar uma área nativa preservada pela escola, onde os participantes puderam debater toda a diversidade das plantas e dos pequenos animais. Ingredientes valiosos para a manutenção da biodiversidade e equilíbrio natural do ecossistema. As famílias também puderam ver de perto o modelo de produção nas áreas da Ecoescola, um lugar mantido pelo Centro de Formação Mandacaru e cultivado pelos alunos sob o acompanhamento da equipe técnica da escola.

Segundo o técnico Dejavan Pereira do Centro de Formação Mandacaru, essas visitas nas áreas são importantes para que as famílias compreendam que um ser vivo depende do outro para manter o equilíbrio e a produção se manter sustentável.

O foco central das ações do projeto é fortalecer e ampliar a produção agroecológica de frutas, verduras, legumes e hortaliças nos quintais produtivos dessas famílias agricultoras. “Antes de tudo precisamos pensar e trabalhar na segurança alimentar dessas famílias para depois planejar e buscar fortalecer também a comercialização, e assim gerar renda e melhorar a vida dessas famílias”. Disse o técnico Francisco Uchoa, integrante da Coordenação do Mandacaru.

 Parte dessas famílias atendidas pelo projeto já possui uma rica diversidade de furtas em seus quintais, porém pouco utilizada, por isso é estratégico o apoio do projeto tanto em infraestrutura, planejamento, formação e assessoria técnica para que cada vez mais, bons frutos cheguem até a mesa dessas famílias.

A EcoFamília em Festa voltou e com ela as boas energias

Apresentação teatral

Ela voltou, trazendo consigo o fortalecimento da parceria entre escola e família. Falamos da EcoFamília em Festa que esteve ausente por dois anos por conta do período de pandemia. O evento aconteceu durante o dia de sexta feira, (09) na quadra da Ecoescola Thomas a Kempis e contou com a presença de quase 500 pessoas entre pais, mães, alunos/as, equipe Ecoescola e convidados.

Este ano, a festa da família trouxe o tema: “É com alegria que voltamos a EcoFamília em Festa”. E foi de uma boa energia mesmo, porque a programação trouxe uma diversidade de atrações como peças teatrais, atrações musicais de voz e violão, sorteios de prêmios para as mamães, além de muita animação através das brincadeiras nos intervalos das apresentações.

A festa da família de fato havia deixado saudades nesses dois anos de ausência, afinal é ali onde as oficinas desenvolvidas na escola podem trazer o talento dos alunos no violão, teatro, capoeira e tantos outros. A festa trouxe a boa energia entre as famílias, pois nesse espaço, elas podem se encontrar e fazer aquele agradável bate papo. Um dia de festa mesmo.

Entidades da Sociedade Civil de Pedro II realizam Caminhada pelos/as Excluídos/as

Há 28 anos os movimentos sociais do Brasil realizam no dia 7 de setembro, o ato de manifestação pelas pessoas excluídas do País, o chamado Grito dos Excluídos/as, aqueles e aquelas que vivem a margem da sociedade, sendo em sua maioria pessoas que tem seus direitos desrespeitados na saúde, segurança alimentar, educação, emprego, moradia e tantas outras. Uma ausência escancarada de políticas públicas praticamente todos os dias. Nos últimos anos as bandeiras de lutas ampliaram com a negação ou redução de direitos historicamente conquistados, como por exemplo, a redução de direitos trabalhistas e a redução nos investimentos na educação. Já são 28 anos em que os movimentos sociais somam força em favor desse grito que precisa continuar ecoando em todo País.

O movimento do Grito dos Excluídos trouxe como tema esse ano, “200 anos de independência, para quem?, com manifestações em todo o Brasil. Em Pedro II, organizações como o Centro de Formação Mandacaru, Fundação Santa Ângela, o CERAC, Obra Kolping, Sindicato dos Trabalhadores/as Rurais entre outras Entidades realizaram uma caminhada pelas ruas da cidade trazendo as bandeiras de luta focadas nesses temas.

A caminhada teve concentração e início na Praça de São José Operário na Vila, seguindo pelas Avenidas José Lourenço Mourão e Coronel Cordeiro com parada no centro comercial da cidade, onde houve umas falas dos participantes. Depois a caminhada teve continuidade até a Praça da Matriz de Nossa Senhora da Conceição, onde aconteceram apresentações musicais dos movimentos.

Durante a parada da caminhada foram abordados temas como educação, segurança alimentar, proteção as crianças, saúde, o ódio ideológico entre outros. Um espaço de fala em favor de todas as pessoas excluídas do Brasil. Foi lembrado também que se faz necessário o povo lutar para fazer valer seus direitos. Pois só assim é possível consegui melhorias e alcançar conquistas coletivas, diziam as pessoas representantes das organizações durante o momento de falas.