Multiplicação de enxames de abelhas nativas é tema e prática de curso na Ecoescola

“A abelha nativa ou também indígena como alguns chamam tem papel fundamental na polinização das matas nativas de nossa região”. Essa foi uma das afirmativas repassadas pelo o instrutor do Curso de multiplicação dos exames de abelhas sem ferrão realizado na manhã da ultima quinta na feira (31.08) na Ecoescola Thomas a Kempis para alunos da Ecoescola, técnicos e famílias participantes do Projeto de Resgate, Preservação e Incentivo à Criação de Abelhas Nativas e de melhoramento da espécie Ápis Melífera. Famílias essas que também recebem a assessoria do Centro Mandacaru neste campo.  O curso foi monitorado por Edvan Lustosa, um comerciante que herdou de sua família a prática de produzir mel de abelhas sem ferrão na região de Piripiri.

Continuar lendo

Anúncios

Educação do Campo: Ecoescola recebe visita de estudantes da UFPI

Uma delegação com 30 pessoas incluindo estudantes e professores da Universidade Federal do Piauí – UFPI Campus Floriano estive na Ecoescola Thomas a Kempis na última sexta feria dia 18 de agosto para conhecer as práticas ali trabalhadas com foco na convivência com o Semiárido. A delegação era formada por estudantes do curso de licenciatura plena em educação do campo sob a coordenação do professor Erlon Barros. A programação da visita ocorreu em duas etapas, sendo no primeiro momento a visita nas áreas da escola onde os alunos/as puderam ver a roça agroecológica, a horta sombreada, a área dos compostos entre outros. No segundo momento a professora Jaqueline de Sousa apresentou a proposta pedagógica da Ecoescola e o modelo de educação contextualizada trabalho no cotidiano da escola há 16 anos. O acompanhamento nas áreas foi realizado pelos alunos Ailson Soares e Maria da Conceição.

Continuar lendo

Festa e cultura Juninas unidas no mesmo espaço

A cada ano o setor de educação do Centro de Formação Mandacaru tem trabalhado e organizado a festa que traduz cultura e tradição do Nordeste do Brasil. São as festas juninas que atrai um público muito bom durante as apresentações, além de oportunizar os estudantes a mostrarem todo o talento que tem seja na dança, na criatividade ou animação. A escola Asa Branca realizou sua festa junina na Praça Monsenhor Lotário, vila Kolping com os alunos e famílias da escola no Bairro São Francisco na tarde e noite de quarta feira dia 05 de julho. Além de bem organizada, as apresentações foram muito bonitas mostrando a alegria das crianças em participar do momento cultural. É a oportunidade também de realizar uma festa para e com as famílias do bairro.

A Ecoescola Thomas a Kempis realizou sua festa julina na noite desta quinta feria dia 06 de junho e atraiu um grande público para a quadra da escola, local das apresentações.

Continuar lendo

Cisternas nas Escolas: Encontro reafirma a educação contextualizada como missão

“Qual Semiárido queremos ou estamos mostrando em nossas escolas”? Perguntava a professora Jaqueline de Sousa aos participantes do Encontro Territorial do Programa Cisternas nas Escolas que o Centro de Formação Mandacaru estar executando no Território dos Cocais, região norte do Piauí. A pergunta teve uma valor especial para aquele momento, pois ali estavam entre os participantes, Secretários/as Municipais de Educação, Obras e Administração, Educadores/as, integrantes das comissões municipais entre outras coordenações. E as respostas também foram de destaques se considerados que quase todas as pessoas presentes refletiam que se ainda hoje o debate e modelo da educação contextualizada ainda são poucos aplicados nas escolas rurais, a missão é real e necessária. O debate em torno do tema ocorreu durante a palestra da professora Jaqueline de Sousa que também é coordenadora de Educação na Ecoescola Thomas a Kempis, uma instituição de ensino que trabalha há 15 anos o método de educação acima citado. Durante sua palestra a professora apresentava fatos e contextos históricos negativos que são repassados nas escolas fatos estes que não condizem a realidade do Semiárido, “um lugar rico e de pessoas sábias”, dia ela. E acrescentava: “Se temos e sabemos que nosso lugar não é assim, porque replicamos o que os livros de fora falam sobre nós? Por uma questão curricular”?. O senhor Francisco das Chagas Ribeiro que é Secretário Municipal de Obras do município de Milton Brandão, lembrava do quanto é importante discuti os valores e dons de um povo que também representam riquezas de uma região.

Continuar lendo

Sarau literário aborda tema sertanejo

A poesia, o conto, o cordel estão entre as raízes mais fortes da literatura nordestina. O nordeste brasileiro tem na sua história alguns dos maiores nomes da literatura brasileira como Jorge Amado, Ariano Suassuna, Patativa do Assaré entre tantos outros. Autores que escreveram linhas e mais linhas retratando a vida, os costumes e principalmente a cultura de um povo que “é acima de tudo um forte”. Duas escolas de Pedro II uniram parte de seus estudantes para apresentar em versos, peças teatrais e poemas algumas das obras que retratam a vida do Nordeste do Brasil . Daí o nome de Sarau Sertanejo numa realização da Ecoescola Thomas a Kempis e a Escola Família Agrícola Santa Ângela – EFASA, evento realizado durante todo o dia desta quinta feira, 18 de maio, no auditório da Fundação Santa Ângela.

Continuar lendo