A EcoFamília em Festa voltou e com ela as boas energias

Apresentação teatral

Ela voltou, trazendo consigo o fortalecimento da parceria entre escola e família. Falamos da EcoFamília em Festa que esteve ausente por dois anos por conta do período de pandemia. O evento aconteceu durante o dia de sexta feira, (09) na quadra da Ecoescola Thomas a Kempis e contou com a presença de quase 500 pessoas entre pais, mães, alunos/as, equipe Ecoescola e convidados.

Este ano, a festa da família trouxe o tema: “É com alegria que voltamos a EcoFamília em Festa”. E foi de uma boa energia mesmo, porque a programação trouxe uma diversidade de atrações como peças teatrais, atrações musicais de voz e violão, sorteios de prêmios para as mamães, além de muita animação através das brincadeiras nos intervalos das apresentações.

A festa da família de fato havia deixado saudades nesses dois anos de ausência, afinal é ali onde as oficinas desenvolvidas na escola podem trazer o talento dos alunos no violão, teatro, capoeira e tantos outros. A festa trouxe a boa energia entre as famílias, pois nesse espaço, elas podem se encontrar e fazer aquele agradável bate papo. Um dia de festa mesmo.

Circuito Lítero-cultural foi um sucesso e promoveu bons conhecimentos ao público

Foto: Neto Santos

Durante dois dias, (31.08 e 01.09) a Ecoescola Thomas a Kempis sediou o I Circuito Lítero-cultural com o tema “Literatura Piauiense: a que será que se destina?”, tendo como homenageado o autor piauiense Fontes Ibiapina. Foram dois dias de palestras, oficinas e atrações teatrais de obras literárias piauienses. O evento teve a organização da Associação Pedro-segundense de Letras e Artes – APLA e a realização da Ecoescola Thomas a Kempis. Uma parceria que segundo a organização gerou bons e ricos conhecimentos.

A abertura do I Circuito Lítero-cultural ocorreu na manhã do dia 31 tendo a presença ilustre de escritores/as, professores/as e Coordenadores/as das Entidades parceiras. Presença especial também do Presidente da Academia Piauiense de Letras, Zózimo Tavares, que na oportunidade proferiu a palestra de abertura do evento tendo como tema “Leitura e Cidadania”.

Entre os momentos marcantes do I Circuito Lítero-Cultural, destaque para a palestra “Fontes Ibiapina, um folclorista na academia”, com o Prof. Ms. Ernâni Getirana, a Leitura de contos do Livro Fins D’água (Genuíno Sales) apresentada por Auri Soares- Professora Mestre em Ciências da Educação, as oficinas de Fanzine com a poetisa Gerlane Lima e a de Pintura com os professores Juniel Rodrigues e Guimarães Júnior, além da roda de dança e atrações culturais com o grupo de Povos Indígenas do Nazaré – Lagoa de São Francisco.

Outro momento de emoção e talento foram as apresentações culturais de obras literárias do autor Fontes Ibiapina, muito bem apresentadas pelo grupo da oficina de teatro da Ecoescola Thomas a Kempis na tarde do primeiro dia. Um evento que reuniu o talento, a arte e cultura no mesmo espaço.

Ao término do evento a organização avaliou como um momento enriquecedor na sabedoria, além do fortalecimento no estudo e aprendizagem da literatura piauiense.

Um novo jeito, a mesma alegria

Apresentações na quadra da Ecoescola

O formato e programação foram bem diferentes do habitual de anos anteriores, porém com uma pandemia ainda fazendo vítimas, se faz necessário entrar em cena o novo jeito de celebrar, comemorar. Mas a energia, alegria e descontração permanecem mais do que nunca em alta. Foi assim, o evento que marcou o encerramento do ano letivo na Ecoescola Thomas a Kempis na manhã desta sexta feira dia 10. Contando com a presença dos/as aluno/as, alguns professores/as, a Coordenação Geral do Mandacaru e a Direção da Escola, a festa de encerramento teve peças teatrais, mensagens e homenagens a professora e Coordenadora Jaqueline de Sousa. Não podia faltar também um forró pé de serra ao vivo, som identidade do Nordeste. Claro, com todos os cuidados e procedimentos de proteção, de acordo com as autoridades de saúde. Entre os itens de uso obrigatório: a máscara, álcool em gel e medidor de temperatura.

Esse foi mais um ano em que não foi possível a presença das famílias dos alunos na festa de encerramento. Porém, a quadra da escola foi ocupada com muita alegria dos alunos/as que participaram de todos os momentos. Em 2020, o evento de encerramento foi mais restrito ainda, não sendo possível inclusive uma celebração presencial. Por isso, mesmo com restrições, esse ano foi um avanço importante para a segurança de todas as pessoas.

Ainda por conta da pandemia, a Ecoescola segue sua programação diária com reduções na quantidade de pessoas nos espaços como salas de aulas e cuidados especiais em momentos como esse, onde marcou o enceramento das aulas de 2021 na escola. “A ideia é realizarmos nossas atividades, sem perder o foco da proteção de todos e todas”. Disse a Direção da Escola.

Produção em estufa é aplicada visando melhor produção agroecológica

A cada período chuvoso chega o desafio dos agricultores familiares continuarem produzindo algumas hortaliças agroecológicas sem perder quantidade nem qualidade. Quem cultiva principalmente a cebolinha e o coentro conhece bem essa história. Prova disso tem sido a queda na produção dessas hortaliças no período entre fevereiro e abril nessa região de Pedro II, período em que as chuvas costumam ser mais intensas, o chamado por esses lados de período do inverno. Pois bem, há dois anos a Ecoescola Thomas a Kempis vem trabalhando em sua área de produção um dos modelos de estufa visando sanar esse problema para os pequenos produtores. Uma estufa que tem em sua cobertura um plástico apropriado para esse objetivo. Ele retém a água da chuva, porém não retém toda a luz solar, o que facilita o desenvolvimento das plantas. O projeto tem o acompanhamento dos técnicos e dos alunos da escola.

Continuar lendo

Ecoescola distribui terceira etapa de tarefas escolares

Seguindo o calendário escolar nesse novo formato de aulas por conta da COVID-19, a Ecoescola Thomas a Kempis iniciou na manhã desta quinta feira dia 28 de maio, a distribuição da terceira etapa das atividades escolares que devem ser realizadas pelos alunos nas próximas semanas. Visando a distribuição com segurança e não correr o risco de haver a aglomerações de alunos ou pais e mães na entrega, a escola fez um planejamento de distribuição em duas etapas. No primeiro dia foram convidados a virem até a escola pra receber as atividades, os alunos das regiões da Lagoa do Sucuruju, Roça dos Pereira, Mangabeira, São João e Serra dos Matões. Na sexta feira dia 29 serão os alunos das demais comunidades e também dos bairros da cidade de Pedro II.

Continuar lendo