Família produz de forma sustentável no Semiárido e gera riqueza alimentar

IMG_2798De longe se ver o cantinho verde do quintal no meio da vegetação nativa da Caatinga. Nem é preciso olhar muito para perceber que ali tem um implemento do Programa Uma Terra e Duas Águas – P1+2 da ASA Brasil. A família em destaque vive da agricultura familiar e da criação de pequenos animais numa propriedade de 33 hectares de onde tira a renda e a alimentação familiar e mora no lugar há mais de 30 anos. Já com os filhos criados, o casal permanece gerando conhecimentos e riquezas. A família proprietária de tal benção e riqueza? É o que você confere no relato abaixo.

“Nunca perdi uma plantação aqui, porque não tem terra fraca quando ela está adubada”, e acrescenta , “todo ano planto e tenho minha produção garantida”. Essa é uma das muitas frases positivas pronunciadas por seu João Batista Lopes da comunidade Salgado município de Castelo do Piauí. Sua esposa, dona Francisca Desterro ainda completa, “a gente não queima nada aqui, toda a palha da carnaúba e o esterco de bode que temos é colocado dentro dos quintais”.

Dona Desterro fala com um sorriso no rosto que produz o tomate, cheiro verde, batata doce, pimentão e a macaxeira com a água de sua cisterna do Programa Uma Terra e Duas Águas – P1+2 que também estar dentro de um dos quintais. “De tudo tenho um pouco”, disse. Ela nos falou também que pouco tempo atrás chegou a colher 80 quilos de batata doce.

Com essas sabedorias a família tem um exemplo de luta, trabalho e produção agroecologica na comunidade Salgado que fica a 45 km da sede do município.

Dona Desterro contou também que em 2013 seu João Batista teve uma produção com mais de 400 unidades de abobora, quantia o suficiente para garantir um bom dinheiro para a família.

Se mostrando um homem de fé seu João explica. “Deus coloca as coisas boas no mundo, mas é preciso a gente ter coragem e lutar para melhorar”.

A família possui dois quintais produtivos de pouco mais de uma hectare onde se produz milho, feijão, abobora e macaxeira. Todo ano a família aduba a terra com a compostagem orgânica produzida na propriedade. Seu João nos disse que já teve ano de produzir mais de 50 sacos de milho, (cada saco corresponde a 60 kg de grãos), nesses quintais e que planta na mesma área desde 1985. Reafirma que mesmo tendo inverno fraco ou bom nunca perdeu um ano de produção nos quintais, “pouco ou muito sempre tirei o sustento da minha família daqui”. Um grande exemplo que a família dar produzindo nesta modalidade é o fato de se tornar uma área agroecologica onde não precisa desmatar tão pouco queimar outras áreas da propriedade para produzir o alimento. Um gesto bem concreto de preservação e sustentabilidade.

Dona Desterro ainda tem um outro dom. Faz bolos deliciosos que são comercializados na comunidade e região. Durante o dia trabalha na agricultura e a noitinha ainda faz bolo para comercializar na região.

Uma família trabalhadora e de bons exemplos que melhorou ainda mais sua vida depois que conquistou as cisternas do P1MC e P1+2 da ASA Brasil, programa executado na região pelo Centro de Formação Mandacaru de Pedro II.

Este é um registro da riqueza farta e silenciosa na agricultura familiar de base agroecologica da propriedade de seu João Batista Lopes e dona Francisca Desterro do município de Castelo do Piauí. Família abençoada por Deus de muita sabedoria e bom exemplo para dar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s