Cisternas nas Escolas: Encontro reafirma a educação contextualizada como missão

“Qual Semiárido queremos ou estamos mostrando em nossas escolas”? Perguntava a professora Jaqueline de Sousa aos participantes do Encontro Territorial do Programa Cisternas nas Escolas que o Centro de Formação Mandacaru estar executando no Território dos Cocais, região norte do Piauí. A pergunta teve uma valor especial para aquele momento, pois ali estavam entre os participantes, Secretários/as Municipais de Educação, Obras e Administração, Educadores/as, integrantes das comissões municipais entre outras coordenações. E as respostas também foram de destaques se considerados que quase todas as pessoas presentes refletiam que se ainda hoje o debate e modelo da educação contextualizada ainda são poucos aplicados nas escolas rurais, a missão é real e necessária. O debate em torno do tema ocorreu durante a palestra da professora Jaqueline de Sousa que também é coordenadora de Educação na Ecoescola Thomas a Kempis, uma instituição de ensino que trabalha há 15 anos o método de educação acima citado. Durante sua palestra a professora apresentava fatos e contextos históricos negativos que são repassados nas escolas fatos estes que não condizem a realidade do Semiárido, “um lugar rico e de pessoas sábias”, dia ela. E acrescentava: “Se temos e sabemos que nosso lugar não é assim, porque replicamos o que os livros de fora falam sobre nós? Por uma questão curricular”?. O senhor Francisco das Chagas Ribeiro que é Secretário Municipal de Obras do município de Milton Brandão, lembrava do quanto é importante discuti os valores e dons de um povo que também representam riquezas de uma região.

O Encontro Territorial do Programa Cisternas nas Escolas tem um grande valor porque a equipe de trabalho tem a oportunidade de apresentar a proposta do Programa para pessoas da gestão pública e que participam do evento, um momento para que possam conhecer melhor a metodologia que a Articulação do Semiárido Brasileiro – ASA Brasil aplica na execução de seus programas, que não se limita apenas em construir tecnologias, mas também de debater políticas públicas, mobiliar comunidades e fortalecer as ações de convivência como o Semiárido. Para José Pinheiro, coordenador técnico do Centro Mandacaru, o Programa Cisternas nas Escolas se torna especial por algumas razões, entre elas pela a oportunidade das escolas rurais terem sua estrutura para captação e estocagem de água, também porque dar a oportunidade da sociedade civil construir parcerias com o setor público e fortalecer o debate para o desenvolvimento da educação contextualizada.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s